Comunicação

Comunicação

Clipping

Terceira Idade se torna público fiel dos educadores físicos27/09/2018

No último mês de agosto, o IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística divulgou que a expectativa de vida dos brasileiros subiu para os 76 anos, alcançando a maior média da história. Entre os fatores que têm colaborado para este aumento, pode-se considerar a mudança de hábitos da população, que cada vez mais tem procurado alternativas para manter uma vida saudável. A prática de exercícios físicos, por exemplo, passou a fazer parte da rotina das pessoas.

E com a crescente procura de iodos pelas atividades físicas, a criação de academias específicas para o público da terceira idade tornou-se uma novo nicho de mercado e uma boa oportunidade de atuação para quem investiu no curso de Educação Física. De acordo com a Acad Brasil - Associação Brasileira de Academias, o percentual de pessoas maiores de 60 anos que buscam este tipo de serviço subiu de menos de 5%, no início da década passada, para 30% nos dias de hoje. 

Entre as atividades mais procuradas pelo público da terceira idade, segundo a Acad estão a "musculação terapêutica" ou "musculação supervisionada", voltada para o fortalecimento muscular e manutenção da massa corporal adequada. As atividades contribuem para reduzir os incômodos causadas pelas artrites, osteoporose, dor nas costas e até depressão, por exemplo.

Independente da atividade escolhida pelo cliente, a prática de exercícios físicos aliada a uma alimentação equilibrada e supervisão adequada de profissionais qualificados, ainda colabora para a melhora do sono, controle de glicose, saúde cardíaca, restauração do equilíbrio entre outros benefícios.

De olho nessa nova tendência e crescente demanda da área, a oferta deste tipo de serviço, totalmente avesso às academias tradicionais, tem sido uma opção de negócios para o segmento de Educação Física e também fisioterapeutas, que podem agregar suas habilidades e experiências neste tipo de atendimento.



Fonte: Educa Mais Brasil